Temperatura baixa e tempo seco podem agravar desidratação e doenças de pele

0
134
visualizações

Não é somente o excesso de sol que faz mal à pele. Com as baixas temperaturas, é importante tomar alguns cuidados para evitar alergias e o agravamento de doenças dermatológicas.

As temperaturas (e umidade) mais baixas, o vento e banhos muito quentes e demorados podem roubar a saúde e a beleza da pele, dos lábios e do cabelo no inverno.

“Nessas circunstâncias, a gordura existente na camada superficial da pele é removida, de forma a causar o aparecimento da desidratação – com o ressecamento, descamação e irritação da pele, ou o agravamento de problemas dermatológicos já existentes, como a psoríase e as dermatites atópicas (áreas de vermelhidão e descamação na pele que acometem os alérgicos) e seborréica (placas vermelhas descamativas que geralmente acometem a face)”

… afirma a dermatologista Dra Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (AAD).

Além disso, com a baixa umidade do ar (tempo seco) aliada à poluição, é comum os lábios ficarem também muito ressecados. “Isso acontece porque eles estão mais sujeitos ao vento, à poeira, à poluição e o tempo muito seco e isso retira a oleosidade e hidratação natural do lábio. Ele acaba ficando muito seco e rachado realmente, se não for hidratado. Outras partes do corpo também sofrem: os joelhos, cotovelos, pés e mãos são áreas que tem poucas glândulas sebáceas e mais sujeitas ao ressecamento”, completa.

Hábitos errados no inverno também podem piorar a qualidade da pele e do couro cabeludo. “O principal deles é tomar banhos demorados e muito quentes. A água em alta temperatura retira a oleosidade e favorece o aparecimento da dermatite seborreica. Esfregar muito a pele corporal com bucha também agride demais os tecidos e resseca ainda mais”, explica. Outro erro comum é lixar os pés:

“Quanto mais agressivo for o quadro de esfoliação, maior será o rebote produzido pela pele, com uma resposta natural do corpo de espessamento ainda maior, então a pele fica ainda mais grossa. Além disso, num primeiro momento, nós podemos perder a capacidade natural de autoproteção, tirando também o estrato córneo natural que protege os pés, o que abre a porta de entrada para fungos e bactérias, além de aumentar a sensibilidade, e ajudar no desenvolvimento de dermatite irritativa ou de contato”

… diz a médica, que preparou dicas para enfrentar o dia sem medo:


  • Temperatura do chuveiro – Evitar água muito quente, pois ela retira a oleosidade natural da pele e do cabelo, provocando ressecamento. A temperatura deve ser no máximo de 35 a 40 graus, que embaça um pouco o espelho. Se todo o espelho estiver embaçado, a água deve estar em excessivos 60 graus aproximadamente.
  • Pele do rosto – Para a limpeza da pele, basta água morna e um pouco de sabonete. Prefira sabonetes líquidos mais suaves, menos agressivos, e com capacidade hidratante.


  • Hidratar o rosto – Após limpeza e tonificação, aplique hidratantes com alta capacidade de hidratação, com ácido hialurônico e ativos formadores de filme.
  • Usar e abusar de hidratantes no corpo – O segredo é aplicar com o corpo ainda úmido para aumentar a penetração.
  • Escolha do Vestuário – Dê preferência a casacos e blusas de moletom ou de algodão ou flanela. Quando utilizar lã, fios sintéticos ou lã acrílica, utilizar uma camiseta de algodão por baixo para evitar contato direto com a pele para prevenir coceiras e alergias.
  • Uso de Secador de Cabelo – Como é mais frequente no inverno, deve-se utilizar mais longe dos cabelos para evitar o aquecimento do couro cabeludo e prevenir descamações.


  • Hidratação dos Cabelos – A máscara ideal para causar um efeito nutritivo aos cabelos pode conter na composição produtos derivados de vegetais (Manteiga de Karité, Manteiga de Cacau, Manteiga de Oliva, Óleo de Algodão, Óleo de Girassol), com ativos que repõem os nutrientes necessários para manter os cabelos nutridos e bonitos ao longo do inverno.
  • Uso de condicionador e cremes sem enxágue – Aplicar da metade para baixo nos fios. Evitar contato com o couro cabeludo para prevenir descamações. Lavar retirando bem o produto. Creme sem enxágue também deve ser aplicado evitando contato com a raiz.
  • Uso de Filtro Solar – Mesmo na época do inverno, devemos utilizar o protetor solar diariamente. Ele deve ser adequado para o tipo de pele e contar com FPS de no mínimo 30.
  • Esfolie os pés – esfoliação natural é a melhor forma para resolver o problema com a pele dos pés mais grossa. “Antes de esfoliar, os pés devem ser embebidos numa solução que pode ser de água com uma mistura de óleos e só depois fazer a esfoliação, em movimentos circulares”, recomenda. Depois hidrate com cremes à base de lanolina, manteiga de karité, Vitamina E, Pro Vitamina B5 e a ureia.
  • Beber muito líquido – Não devemos esquecer o consumo de água, frutas e verduras, que ajudam na hidratação.
  • Visite o dermatologista – Muitos problemas de pele podem ser tratados com procedimentos em consultório durante as temperaturas mais baixas, pois a incidência do sol é menor.

Fonte: Dra. Valéria Marcondes
Dermatologista da Clínica de Dermatologia Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia com título de especialista e da Academia Americana de Dermatologia. Foi fundadora e é membro da Sociedade de Laser.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui